Arregimentando maestros pelo Brasil

Google+PinterestLinkedInTumblr+

Formar um exército de regentes e orquestras com nível técnico e artístico, democratizando a música clássica, esse é o intuito do maestro João Carlos Martins, que vem conhecendo grupos e projetos pelo país, como ocorreu na última semana de novembro, quando esteve na Paraíba apresentando o Orquestrando o Brasil para regentes e coordenadores musicais de várias cidades paraibanas e de outros estados nordestinos, como Ceará, Rio Grande do Norte e Pernambuco.

O Encontro aconteceu na sede da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), na manhã de sábado (1/12) e contou com apresentação das crianças do Projeto Ciranda, de Alto do Mateus, João Pessoa/PB, que o maestro João Carlos Martins fez questão de reger. “A música oferece oportunidades à crianças e jovens, principalmente, aquelas que vivem em situação de vulnerabilidade. Eu fui vítima da violência que contribuiu para minhas limitações como pianista, mas não desisti nunca. Nem mesmo quando recebi a notícia, aos 63 anos, que não poderia tocar mais profissionalmente. Procurei novos caminhos como maestro, pois sou bom em superação, mas sou melhor em teimosia”, disse o maestro João Carlos Martins ao falar sobre o projeto para os participantes.

“O objetivo do Orquestrando o Brasil é congregar músicos, orquestras, iniciativas que estão dispersas e isoladas em um grande movimento de mobilização através da música”, explicou José Roberto Walker, diretor do projeto. A iniciativa já conta com mais de 150 orquestras e a meta é que o projeto congregue mil nos próximos cinco anos. “A ideia é potencializar o trabalho dos grupos e formar uma rede de músicos pelo Brasil e aqui em João Pessoa encontramos muito potencial na vida musical. O principal instrumento para essa mobilização é o Portal”, explicou.

Tiago dos Santos, foi um dos participantes do encontro. Saxofonista e diretor de Cultura no município de Santa Rita, na grande João Pessoa, vem difundindo a música clássica na comunidade, além de instalar uma escola de música. Para ele a reunião com o maestro João Carlos Martins foi de grande valia para os diversos projetos musicais na Paraíba. “Foi possível ver o brilho nos olhos dos nossos regentes e coordenadores de bandas presentes”, disse Santos que também é maestro da Orquestra do Instituto Novo Olhar, de Belém /PB.

Para Renato da Silva Carneiro, coordenador da Orquestra Social Dom João Costa, de Recife/PE, a integração com o maestro João Carlos Martins serviu de estímulo e prestígio, “a iniciativa é fantástica, a sugestão de interceder junto à iniciativa pública e privada para superar as dificuldades que todos os projetos enfrentam, isso só aumenta a possibilidade da gente ter sucesso e realmente utilizar a música como um divisor de água na vida”, afirmou.

 

Compartilhe.

Deixe uma resposta

3 × cinco =