Concerto da Orquestra Jovem comemora lei que declara OSPB patrimônio histórico e cultural da Paraíba

Google+PinterestLinkedInTumblr+

O 2º concerto oficial da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba, nesta quinta-feira (23), será comemorativo à lei que declara a Orquestra Sinfônica da Paraíba Patrimônio Histórico e Cultural do Estado. A Lei nº 11.330, de autoria da deputada estadual Cida Ramos, foi publicada na edição do último sábado,18 de maio, do Diário Oficial. A apresentação começa às 20h30, na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural José Lins do Rêgo, em João Pessoa, com regência do maestro Luiz Carlos Durier e a participação, como solistas, dos músicos Zácaro Feitosa e Marcel Marques. A entrada é gratuita.

O concerto comemorativo terá início com a execução da música “Danças Húngaras 5 e 6”, do compositor alemão Johannes Brahms (1833-1897), com orquestração de Albert Parlow. Em seguida, os solistas Zácaro Feitosa e Marcel Marques sobem ao palco para executar, junto à OSJPB, a “Suíte Monette para Trompete, Trombone e Orquestra (Ciranda, Balada, Valsa e Boi Bumbá)”, do arranjador musical, oboísta e maestro pernambucano Maestro Duda (1935).

Após o intervalo, serão executadas a “Abertura Karélia, Op. 10”, do compositor finlandês Jean Sibelius (1865-1957), e a “Rapsódia Irlandesa”, de autoria do irlandês Victor Herbert (1859-1924).

O maestro Luiz Carlos Durier comemorou a sanção da Lei 11.330 pelo governador João Azevêdo, publicada no Diário Oficial, que será tema do concerto desta semana. “Isso torna a Orquestra Sinfônica e seus corpos ativos com maior responsabilidade de prestar um serviço cultural, artístico, pedagógico, didático a toda a população paraibana e também dos estados circunvizinhos porque, afinal de contas, a Orquestra Sinfônica da Paraíba é uma grande referência em todo o Nordeste e no Brasil, pelo trabalho que desenvolve, buscando sempre a excelência nas suas apresentações. Excelência artística, cultural e de divulgação de autores, principalmente autores vivos, e o fato da gente estar sempre perto da música popular brasileira. Esse é um legado artístico importantíssimo para a Paraíba”.

Sobre o repertório do concerto, Durier destacou a importância das quatro obras que serão executadas. “Iniciaremos com as Danças Húngaras 5 e 6, de Brahms, num arranjo orquestral de Albert Parlow. Essas danças são originalmente escritas para piano, mas elas fizeram tanto sucesso que muitos autores fizeram orquestrações para que suas orquestras de diferentes tamanhos pudessem tocar. São obras realmente muito empolgantes”.

Segundo o maestro, nesse concerto não poderia faltar a música brasileira. “Estamos também prestando uma grande homenagem ao Maestro Duda, que nos fornece sempre material de excelente qualidade, com orquestrações maravilhosas da música popular brasileira, da música folclórica e da música étnica, da música da raiz nordestina”, ressaltou.

“Após o intervalo, tocaremos duas músicas bastante emblemáticas, porque são temáticas, falam da música étnica, representativa das suas regiões: a Kaléria, da Finlândia, de Sibelius, e a de Victor Herbert, que faz uma fantasia sobre música irlandesa. Então, todo o concerto tem como temática a música étnica das regiões de onde elas foram compostas. Música da Hungria, do Nordeste brasileiro, da Finlândia e da Irlanda. São homenagens que os compositores prestam as suas terras, as suas identidades e a sua cultura. Nada melhor do que essa coincidência favorável da sanção da lei, tornando a orquestra patrimônio histórico e cultural, com música representativa de regiões do mundo inteiro”.

Próximos Concertos

No mês de junho, a Orquestra Sinfônica da Paraíba volta a apresentar concerto oficial no dia 13 e a OSPB Jovem no dia 20. Os concertos começam às 20h30, na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural.

Os solistas

Zácaro Pinto Feitosa (trompete) – O músico nasceu em Itaporanga (PB), onde começou seus estudos musicais, aos 5 anos de idade, no Instituto Educacional Santa Mônica, tocando corneta e percussão. Aos 7 anos, através do seu avô Heleno Feitosa Costa, deu início ao estudo do trompete na Filarmônica Cônego Manuel Firmino. Ainda em sua cidade natal, atuou na Orquestra Edmilson e Sua Gente.

Aos 14 anos, Zácaro Feitosa iniciou o Curso de Extensão da Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa, e seus trabalhos musicais tiveram início em 2005, quando ingressou na Banda Sinfônica José Siqueira e na Big Band Parahyba Pop. Iniciou também como músico trompetista no Forró Fest, onde permaneceu até 2014. No mesmo ano, foi selecionado na Banda Municipal da Cidade de João Pessoa (5 de Agosto) para ocupar o cargo de Primeiro Trompete, onde permanece até hoje, ingressando também na Big Band Rotary Club e na Metalúrgica Filipéia. No ano seguinte, ingressou na Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba no cargo de Primeiro Trompete, onde permanece até os dias atuais, e participou do Festival de Música Carnavalesca. É também professor do Projeto Prima e já atuou como professor do I Encontro Internacional de Trompetes Ubirani.

Em 2008, iniciou na UFPB o curso de Bacharelado em Música, Práticas Interpretativas com habilitação em Trompete e ingressou na Orquestra Sinfônica da Paraíba, onde ficou por dois anos. Nos anos seguintes, Zácaro participou do Encontro Nordestino de Metais da cidade de João Pessoa, do Evento Música e Performance da UFPB, e do 33º Curso Internacional de Verão, da Escola de Música de Brasília. Atuou ainda no II Festival Internacional de Música de Campina Grande e no Festival Painéis Funarte de Bandas de Música, onde fez o Curso de Técnica para Instrumentos de Sopro e ingressou na Orquestra Sanhauá.

Já atuou como solista da OSPB Jovem, OSPB, Banda 5 de Agosto, Big Band Rubacão Jazz e Banda Sinfônica José Siqueira e fez trabalhos, entre shows, concertos, CDs e DVDs,  com grupos, maestros e artistas como Adeildo Vieira, Alceu Valença, Alcimar Monteiro, Banda 5 de Agosto, Chico César, Dominguinhos, Ermelinda, Fafá de Belém, Flávio José, Gilvando Azeitona, Guegué Medeiros, Isaac Karabtchevsk, Maestro Duda, Maestro Chiquito, Marcelo Vilor, Marciel Melo, Orquestra Sanhauá, Pinto do Acordeon, Seu Pereira e Coletivo 401, Sivuca, Xisto Medeiros e Zélia Duncan.

Marcel Marques Amorim (trombone) – Nasceu em Aracaju (SE). Iniciou seus estudos musicais no Conservatório de Música de Sergipe, onde estudou o básico e avançado em trombone. Após dois anos, foi aceito pela Banda Sinfônica do Estado e foi aprovado na Orquestra Sinfônica Jovem de Sergipe.

O músico participou de vários grupos, como: big band, quarteto, quinteto, trio, grupo de metais, bandas de forró, axé, bandas bailes e orquestras de frevo por vários estados do Brasil, a exemplo de Sergipe, Bahia e São Paulo. Em 2008, foi aprovado para a Orquestra Sinfônica Jovem da Universidade Federal de Sergipe. Participou de vários festivais nacionais e internacionais, onde teve aulas com professores de renome.

Em 2014, Marcel Marques foi aprovado na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), no curso de bacharelado em Música, e foi aceito na Rubacão Jazz-Big Band. Um ano após, foi aprovado na Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba como primeiro trombone e solista da temporada, onde permaneceu por três anos como primeiro trombone e chefe de naipe. Em 2016, foi solista do concerto de abertura da temporada da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba e, no ano seguinte, venceu o prêmio de solista na categoria avançado pela Associação Brasileira de Trombonistas (ABT) em Cuiabá (MT).

Em 2018, foi solista ao lado da Banda Sinfônica de Goiânia (GO) pela Associação Brasileira de Trombonistas (ABT). No mesmo ano, se formou no bacharelado em Música (Práticas Interpretativas) e entrou na licenciatura em Música na UFPB.

O regente

Paraibano de João Pessoa, Luiz Carlos Durier é o regente titular da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba (OSJPB) há 21 anos. Em setembro de 2013 foi nomeado diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB).

Como regente convidado, conduziu a Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte, Orquestra Sinfônica do Estado de Sergipe, Orquestra Sinfônica da UFRN e Orquestra Criança Cidadã do Recife. Durier também regeu a Orquestra de Cordas da 29ª e 30ª Oficina de Música de Curitiba. No ano de 2012, o maestro recebeu a Comenda de Honra ao Mérito, pelo desempenho profissional frente à OSPB.

Entre suas atividades, conduziu a OSPB na gravação ao vivo do CD da cantora Marinês e sua Gente e do DVD Sivuca e os Músicos Paraibanos. Com a OSPB e a OSJPB, esteve à frente de concertos com artistas populares como Ângela Rô Rô, Arnaldo Antunes, Tico Santa Cruz e Renato Rocha (Detonautas), Flávio José, Genival Lacerda, Alcione, Toninho Ferragutti, Geraldo Azevedo, Dominguinhos e Zélia Duncan.

Por três anos consecutivos, Luiz Carlos Durier regeu a Orquestra Sinfônica da Paraíba e a Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba em grandes concertos comemorativos ao aniversário da cidade de João Pessoa, com artistas paraibanos, que lotaram o Teatro Pedro do Reino, no Centro de Convenções. No dia 5 de agosto de 2016, a apresentação teve como destaque o cantor e compositor Zé Ramalho; em 2017, as atrações foram as cantoras Cátia de França e Nathalia Bellar, e no ano passado, o também paraibano Chico César foi o destaque da apresentação em homenagem aos 433 anos da capital paraibana.

Serviço
2º Concerto Oficial da Temporada 2019 da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba
Regente: Luiz Carlos Durier
Solistas: Zácaro Feitosa e Marcel Marques
Dia: 23/05/2019 (quinta-feira)
Hora: 20h30
Local: Sala de Concertos Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural, João Pessoa
Entrada gratuita
Fonte: PB Agora
Compartilhe.

Deixe uma resposta

cinco × um =