O Projeto Orquestrando o Brasil e João Carlos Martins visitam uma das regiões mais violentas do Nordeste, na grande João Pessoa

Google+PinterestLinkedInTumblr+

Em sua visita à Paraíba, para divulgar o projeto Orquestrando o Brasil, o maestro João Carlos Martins, foi até Santa Rita, conhecer projetos de resgate social através da música.

No último dia 28, o maestro João Carlos Martins foi conhecer o CEFEC – Centro de Formação Educativo Comunitário, em Santa Rita na região Metropolitana de João Pessoa. O local ficou marcado por uma tragédia que chocou o país. Em 2009, na região extremamente violenta e dominada pelo tráfico, um jovem foi assassinado e degolado e sua cabeça usada como bola, num campinho de futebol próximo ao CEFEC.

Foi esse episódio trágico que motivou as Irmãs da Providência, comandadas pela irmã Antonieta a se instalarem na região e iniciar um projeto que nesses poucos anos conseguiu mudar radicalmente a situação do local. Desde 2009 na região, já atendeu mais de 6 mil crianças e jovens, oferecendo oficinas para crianças e adolescentes entre 5 e 13 anos de idade e programas de Educação e Qualificação Profissional para jovens entre 14 e 29 anos, além de atividades complementares de Matemática, Português, Música, Artes e Esporte.

Além dessas variadas atividades, o projeto mantém um núcleo de ensino musical e uma orquestra de crianças e jovens da comunidade. Com doações de particulares, a maioria italianos que conhecem o trabalho das Irmãs da Providência, a irmã Antonieta conseguiu organizar a Orquestra Filarmônica do CEFEC que regida pelo maestro Sadraque Barreto. tocou para João Carlos Martins. “É impossível não se emocionar ouvindo esses jovens tocando. A música explica que Deus existe e que o mais importante é nunca desistir’, diz o Maestro. “A visita do maestro ao CEFEC foi uma obra da providência de Deus”, ressaltou a irmã Antonietta.

O projeto do CEFEC atende atualmente 600 crianças e jovens e continua precisando de ajuda. Para maiores informações sobre o CEFEC e doações, visite o site www.cefecpb.org.br ou entre em contato pelo telefone: 83 3217-5717.

Em seguida Joao Carlos Martins e a equipe do Orquestrando o Brasil, visitaram a mais recente unidade do PRIMA – Projeto de Inclusão Social através da Música e das Artes, e através da diretora geral do projeto, a maestrina Priscilla Santana, pode conhecer um pouco mais sobre o programa criado pelo Governo do Estado da Paraíba em 2012, e que hoje atende mais de 1,2 mil alunos, distribuídos em 15 polos espalhados do Litoral ao Sertão do estado.

Para conhecer mais o trabalho do PRIMA, acesse: www.funesc.pb.gov.br ou a página do projeto no facebook: @primaparaiba.

O trabalho desenvolvido por projetos sociais, como os visitados pelo maestro João Carlos Martins, dão uma nova perspectiva de vida para crianças e jovens que vivem o dia-a-dia dessa comunidade e as orquestras integrantes já passam a fazer parte da comunidade do Projeto Orquestrando o Brasil.

A cidade de Santa Rita, na região da grande João Pessoa, foi apontada como a 26ª cidade do Brasil com maior taxa de homicídio da lista entre 309 cidades com mais de 100 mil habitantes. De acordo com Atlas da Violência 2018, Santa Rita registrou 75 homicídios por grupo de 100 mil habitantes.  Para a ONU (Organização das Nações Unidas), taxas acima de 10 por 100 mil são consideradas de violência epidêmica. Apesar do estudo ter indicado que a Paraíba foi o estado que apresentou a maior redução na taxa de morte de jovens entre 2015 e 2016, em Santa Rita, quase metade dos assassinatos ocorridos na cidade é de jovens menores de 25 anos.

Crianças integrantes chegando ao Polo Prima em Santa Rita

Compartilhe.

Deixe uma resposta

1 × dois =