Quando a sociedade se mobiliza para formar uma orquestra

Google+PinterestLinkedInTumblr+

Maria da Fé, um município de quase 15 mil habitantes no sul de Minas Gerais e conhecida como a Cidade das Oliveiras, quer ter a sua própria orquestra e dar oportunidade aos músicos da região, além de oferecer um novo caminho àqueles que querem fazer da música sua profissão.

O projeto foi uma iniciativa da sociedade local, que se mobilizou e foi em busca de apoio do poder público, da comunidade e do projeto Orquestrando o Brasil, que dará todo o suporte técnico para que Maria da Fé tenha sua primeira orquestra.

Para dar apoio à iniciativa, a equipe do Orquestrando o Brasil participou de um encontro na Casa de Cultura da cidade, na última semana, que contou com a presença da prefeita Patrícia Santos de Almeida Bernardo, do vice-prefeito Luiz Augusto da Silva, secretários, músicos da região e principalmente a população de Maria da Fé.

A ideia inicial foi de dois filhos da terra, Célio Diniz Costa Neto e Emanoel Mota, que sempre sonharam em deixar esse legado para a cidade e, depois de assistir a uma entrevista do maestro João Carlos Martins, onde ele falava sobre o Orquestrando o Brasil, o projeto de Maria da Fé ganhou forma.

“O objetivo é dar aos jovens marienses uma nova oportunidade não só de ensino, lazer e, porque não, uma profissão. Preencher o tempo livre de crianças e adolescentes, desenvolvendo suas habilidades e potencialidades. Agente dessa transformação a música leva a recuperação da auto estima, e cria uma nova perspectiva de vida”, concluiu Emanoel Mota, entusiasta do projeto de Orquestra de Maria da Fé.

Compartilhe.

1 comentário

Deixe uma resposta

quatro × 5 =