‘Quando me chamam de gênio, digo nem tanto’, diz maestro João Carlos Martins

Google+PinterestLinkedInTumblr+

Regente se tornou um influenciador nas redes sociais, com 48 mil seguidores, mesmo sem ter um smartphone próprio

Aos 78 anos, o maestro João Carlos Martins é um dos personagens da edição de abril da revista GQ, totalmente dedicada às artes, que já está nas principais bancas do país.

O regente se tornou um influenciador nas redes sociais, onde compartilha seu dia a dia para quase 48 mil seguidores, mesmo sem ter um smartphone.

João Carlos ostenta um celular de flip, vintage, até hoje. “Quero mostrar que o clássico pode ter uma visualização enorme”, armou à publicação.

Sua trajetória de herói está retratada em três documentários, um filme de ficção baseado em fatos reais, dois livros, uma peça de teatro e trechos de sua vivência pela hashtag #tbt (#ThrowbackThursday, utilizada para recordar fatos marcantes às quintas-feiras).

“Quando me chamam de gênio, digo ‘nem tanto’. Agora, quando falam de superação, afirmo que talvez seja teimosia”, diz o velho maestro, denominação utilizada por ele mesmo, que não para de se reinventar.

Atualmente, está ensaiando com sua Bachiana o álbum Temple of Shadows da banda de heavy metal Angra, que será apresentado em abril. Mas antes, garante ele, o repertório também terá a 5ª Sinfonia de Beethoven.

“Prezo pelo diálogo com música de bom gosto”, completa o regente que já gravou música com artista do naipe de Jethro Tull, Ray Charles, Caetano Veloso, Roberto Carlos e Chitãozinho e Xororó.

Fonte: Band

Compartilhe.

Deixe uma resposta

3 × 2 =