Versolato cria orquestra pública para ampliar acesso à música

Google+PinterestLinkedInTumblr+

Ao completar 25 anos, a Orquestra Versolato, de São Bernardo, começa a escrever nova página na história da música clássica e erudita da região. Júlio Versolato, maestro responsável, anunciou novo projeto do grupo: Orquestra Pública do ABC com o objetivo de ampliar o acesso ao público de todas as idades, apaixonado pelo gênero musical. A ideia, que deu primeiro pontapé em 2017, é tratar a música além do entretenimento e do lazer, como instrumento de educação.

“Acreditamos na música como instrumento de mudança de ponto de vista e que a cultura tem impacto direto no desenvolvimento de um país”, explica Júlio Versolato. Ao proporcionar o acesso de jovens músicos ao ambiente de orquestra, o projeto pretende ser porta de entrada para esse universo que, de outro modo, ficaria restrito a músicos com vasta experiência.

A ideia estava engavetada há anos e começou a ser posta em prática quando a Orquestra Versolato foi convidada a participar do Orquestrando Brasil, plataforma digital que visa disseminar conteúdos, oferecer capacitação e ser ferramenta para a troca de conhecimento sobre música. Idealizado pelo maestro João Carlos Martins, o portal estabelece contato com profissionais e amadores de música que desenvolvem projetos e dá apoio para que, a partir dos recursos de cada comunidade, possam liderar movimentos de expansão e consolidação da música local.

A OPA será formada por alunos de escolas de música e igrejas da cidade. Além de ensaios e concertos, o projeto conta com aulas, palestras, audições, musicalização infantil para crianças de até oito anos, além de visitas às grandes orquestras de São Paulo, tudo gratuito. Portanto, os interessados em participar do projeto devem entrar em contato pelo e-mail opa@versolato.com para mais informações. A seleção é feita de acordo com o nível musical do interessado.

Para possibilitar o andamento do projeto, Júlio Versolato conta que os próximos passos incluem busca de incentivadores e patrocinadores que contribuam financeiramente com a ideia. “Agora buscamos patrocínio para que o projeto cresça. Estou otimista, é um projeto sério que em breve começará a dar frutos”, acredita o maestro, que começa os ensaios em março e tem o primeiro concerto dia 12 de maio, em comemoração ao Dia das Mães, no Golden Shopping, em São Bernardo.

Conceitos didáticos
Além da música, a OPA agrega conceitos didáticos e noções de civismo nas aulas. De acordo com o professor de violino e viola, João Marcos Camargo Júnior, trabalhar com conceitos de educação amplia o impacto que o projeto tem na vida das pessoas. “Procuro sempre mostrar a importância da cultura como um todo […] isso muda a percepção e o psicológico das pessoas”, conta.

O professor, também é adjunto do maestro, iniciou os estudos musicais aos 14 anos e acredita no poder que a arte tem de conectar as pessoas. “Quem controla um instrumento, controla a própria vida […] a música nos faz presentes, nos permite aproveitar momentos. Em um mundo tão corrido, isso é imprescindível”, afirma.

Portal Repórter Diário – (Leticia Vasconcelos)

Compartilhe.

Deixe uma resposta

3 × 5 =